Busca rápidaX

MANCHETES

Pela primeira vez na história, Governador decreta situação de calamidade pública no RS

19 de março de 2020
eduardo leite

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta quinta-feira (19), o Governador Eduardo Leite anunciou o decreto de situação de calamidade pública no Rio Grande do Sul em resposta ao avanço dos casos de coronavírus no Estado. De acordo com Leite, o objetivo é estender restrições de circulação de pessoas, especialmente em municípios do interior que não tem casos confirmados e assim alertar a todos sobre a gravidade da situação. O decreto passa a valer assim que for publicado no Diário Oficial do Estado, o que deve ocorrer ainda nesta quinta-feira, e será encaminhado à Assembleia Legislativa para que seja convalidado. O anúncio do Governador dá poder a secretaria estadual da saúde para fazer a requisição de imóveis, equipamentos, bens e serviços para atender a demanda de casos do coronavírus, tanto quanto for necessário.

A partir do decreto, o Governador anunciou que estão proibidas viagens interestaduais via terrestre, e a tendência é que a decisão seja ampliada para viagens aéreas também. Para viagens intermunicipais dentro do Estado, Leite determina que os ônibus devem obedecer a 50% da sua lotação máxima. Para o transporte público dentro das cidades, a determinação é não ter passageiros em pé. Em relação às fronteiras com a Argentina e Uruguai, o Governador solicitou que o Governo Federal realize o fechamento.

Para a iniciativa privada, o decreto de Eduardo Leite determina que seja implementado um regime de escalas e revezamento para reduzir a aglomeração de pessoas em horários de pico, especialmente no transporte público. Sobre medidas econômicas, em especial a arrecadação de ICMS, Leite explica que iniciativas são analisadas, porém não serão implementadas se o Governo Federal não ajudar os Estados, que não pode abrir mão de recursos. O governador ainda comentou que cabe ao Presidente da República determinar medidas para reduzir os impactos econômicos, como emitir títulos da dívida e papel moeda.

O decreto do Governador também estabelece limitações para a compra de itens essenciais no comércio, bem como uma regulação de preços destes itens, proibindo a cobrança de preços abusivos. As medidas serão fiscalizadas pelo Procon e caberá aos estabelecimentos determinar limite de itens por consumidor. Aos shoppings centers, fica determinado o fechamento de todo o comércio não essencial, com exceção de restaurantes, farmácias, supermercados, clínicas e agências bancárias. Em restaurantes, será necessário manter um distanciamento de dois metros entre cada pessoa e reduzir a capacidade de atendimento, a fim de diminuir as chances de disseminação do vírus.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!