Busca rápidaX

Pesquisa do Banco Central indica que atividade econômica do RS volta a crescer

17 de julho de 2019

Espécie de termômetro da economia, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) avançou 0,3% no Rio Grande do Sul em maio na comparação com o mês anterior, na série com o ajuste sazonal (compensação em razão das diferenças de cada período do ano). O registro positivo ocorre depois de dois meses consecutivos de retração desse indicador no Estado.

Embora o índice gaúcho tenha sido menor do que a média nacional, que ficou em 0,5% na mesma comparação, no acumulado de 2019 o RS segue com o maior avanço entre os 13 Estados pesquisados pelo Banco Central. A economia gaúcha cresceu 4% considerando o período de janeiro a maio deste ano em relação à igual intervalo do ano anterior. Na média nacional, a alta chegou a 0,94%.

“Os números nos dão entusiasmo em relação ao futuro do Estado”, avaliou nesta quarta-feira (17/7) o governador Eduardo Leite. “Nos deixam confiantes de que temos um potencial econômico para gerar empregos e crescimento e, com as reformas que estão sendo feitas, no âmbito nacional, com a da Previdência, e localmente com as privatizações, concessões e demais medidas que encaminharemos no segundo semestre. Temos confiança de que produzirão mais entusiasmo para melhorar esses índices e gerar mais emprego e renda para o RS”, apontou Leite.

Conforme o economista Martinho Lazzari, pesquisador do Departamento de Economia e Estatística (DEE), ligado à Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão, os índices positivos no Estado são puxados, principalmente, pelos dados positivos da indústria (crescimento de 8,9% nos cinco primeiros meses do ano) e do varejo (aumento de 4,4% no mesmo período), além da recuperação da produção agropecuária, principalmente da soja, conforme os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Termômetro da economia

O IBC-Br é uma forma de avaliar, mensalmente, a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o Banco Central a tomar decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica, já que o indicador oficial, o Produto Interno Produto (PIB), calculado pelo IBGE, é divulgado trimestralmente.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!