Busca rápidaX

PIB do Rio Grande do Sul será divulgado amanhã

25 de abril de 2019
Secretária do Planejamento, Leany Lemos, admite otimismo moderado com desempenho do PIB no RS

Durante o evento Tá na Mesa, promovido pela Federasul em Porto Alegre nesta quarta-feira (24), a secretária de planejamento orçamento e gestão, Leany Lemos, anunciou que o PIB do Rio Grande do Sul será revelado nesta sexta-feira (26). A estimativa será apresentada a partir da análise da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas.  A secretária também afirmou que pretende reduzir o contrato com a Fipe, assinado pelo governador José Ivo Sartori. A entidade privada paulista foi contratada para produzir os principais indicadores gaúchos após a extinção da Fundação de Economia e Estatística. Com a medida, inédita no país, o IBGE deixou de repassar informações sigilosas para o governo do Estado, pois não permite que uma entidade privada tenha acesso aos dados. Leany ressaltou que os servidores da fundação que calculavam os indicadores foram absorvidos pela pasta e a intenção dela é de que as análise sejam feitas dentro da secretaria de planejamento.

Na palestra para empresários, a secretária do planejamento gaúcho apresentou dados sobre o perfil do servidor no Estado e destacou três desafios para a gestão. O número mais preocupante é o crescimento automático da folha salarial, que saltou de R$ 23,9 bilhões anuais em 2015 para R$ 29,2 bilhões em 2018, avanço superior a 1 bilhão em média por ano. Para conter o crescimento das despesas com pessoal, Leany prepara um projeto de reestruturação das carreiras dos servidores, que será encaminhado à Assembleia Legislativa, após a tramitação das matérias relacionadas às privatizações de estatais. Segundo a titular do planejamento, a folha não deve sofrer reduções, mas a medida deve desacelerar o aumento.

Outro ponto que chama a atenção é o número de servidores inativos na folha de pagamento do governo do Estado. Em 2005, a relação entre ativos e inativos era praticamente meio a meio. E desde 2014, aposentados e pensionistas do Estado saltaram de 54% para 59%, em 3 anos. “Para cada um ativo, o governo paga um inativo e meio”, destaca Leany Lemos. Atualmente são 132.861 vínculos ativos e 208.686 inativos. Quase 50% dos ativos possuem faixa etária superior a 46 anos. E quase um a cada quatro tem idade até 35 anos. Para o futuro, a secretária do planejamento tem como meta superar os desafios como demografia, que indicam um envelhecimento da população gaúcha, além de melhorar os índices gaúchos de capital humano, infraestrutura e competitividade.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido !!!