Busca rápidaX

Pneumonia, dengue, Influenza, Covid: cerca de 100 atendimentos diários são registrados no Centro de Triagem de Ijuí

10 de maio de 2022

O novo Boletim divulgado pela Fiocruz aponta para o início de crescimento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave na população adulta no Rio Grande do Sul. A principal suspeita é de que o aumento esteja associado ao Sars-CoV-2, o coronavírus causador da Covid-19, que tem apresentado leve crescimento. Contudo, o dado pode também estar associado a um eventual retorno do vírus Influenza A (gripe). O boletim também alerta que o vírus Influenza A vem sendo observado em diversas faixas etárias no RS, especialmente nas últimas cinco semanas.

Em Ijuí, segundo Francisco Korb, coordenador do Centro de Triagem, até as 15h de ontem, mais de 100 pessoas haviam procurado pelo local. Essa tem sido a média diária de atendimento. O enfermeiro afirma que aproximadamente 100 testes rápidos para Covid são realizados diariamente, sendo que destes, 15% resultam positivo. Sobre os demais pacientes, segundo Francisco, a maioria deles apresenta sintomas de dengue ou gripe Influenza. Nesse último caso, ele afirma que os casos vêm aumentando devido a baixa procura pela imunização, informação confirmada pela enfermeira responsável pelo setor de imunizações de Ijuí, Moiseane  Bracht.

Sobre o atendimento, Francisco explica que o primeiro acesso é a unidade de saúde ou o Centro de Triagem, e caso o paciente necessite de atendimento especializado ou observação e exames, é encaminhado, inicialmente à UPA. Caso persista o quadro ruim, após 24h, ele é encaminhado para leito hospitalar. Em todos os casos o paciente sempre é transportado via ambulância municipal.

Sobre os casos Covid, Francisco afirma que é visível aos profissionais de saúde que trabalham atendendo essa população que os pacientes vacinados com as três doses têm um quadro sintomático muito leve e mesmo com a doença, permanecem com a rotina inalterada, enquanto os que optaram pela não vacinação ou somente por uma dose tem sintomas mais prolongados e severos. Além disso, outros pacientes apresentam sintomas característicos de pneumonia, que correspondem 5% dos atendimentos. No entanto, muitos pacientes desenvolvem a pneumonia depois, com o passar dos dias, e segundo o coordenador, isso ocorre principalmente pelo tabagismo, e por outras condições respiratórias como asma, bronquite, gripe comum ou até mesmo uma DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica). “Tudo depende do quadro pregresso do paciente, de como estava antes, se era tabagista ou não, se tinha hábitos saudáveis (alimentares, exercícios), tudo influência para a piora ou melhora dos sintomas”.

Fonte: Rádio Progresso
error: Conteúdo protegido!