Busca rápidaX

MANCHETES

Pode tomar água direto da torneira? Como escolher o melhor filtro?

8 de setembro de 2017
Qual é a melhor água para consumir? Pode ser direto da torneira? Qual é o melhor filtro? De barro? De plástico? Aqueles filtros elétricos? Ou então comprar mineral? A nutricionista Isabela Jaeger responde esses e outros questionamentos. Isabela começa avisando que nem toda água está pronta para consumo. Deve ser livre de poluição e contaminação, além daquilo que a gente aprendeu lá na escola: límpida (sem cor) e inodora (sem cheiro).

Pode tomar água direto da torneira?
A água que sai da torneira vem diretamente da empresa de abastecimento de água da cidade. Em regiões nas quais não se tem acesso a água tratada, não se sabe exatamente qual sua procedência ou grau de pureza.

A água que vem da companhia de abastecimento de água até chegar nas residências percorre um longo trajeto, passando por diversas tubulações para então ficar armazenada na caixa d’água da residência. É importante que todos estes locais sejam limpos periodicamente, bem vedados e sem exposição à riscos. Essa água, na maioria dos casos, não está totalmente livre de impurezas indesejáveis. É possível encontrar resíduos de produtos utilizados no tratamento da água e outros contaminantes que geram gosto e cheiro desagradáveis. Portanto, caso o consumidor não tenha certeza sobre a qualidade da água que chega em sua residência, o consumo diretamente da torneira não é recomendado.

Portaria do Ministério da Saúde regula o controle e a vigilância da qualidade da água para o consumo humano e seu padrão de potabilidade. É importante fazer uma análise microbiológica da água ou até mesmo solicitar a companhia de abastecimento que indique a composição química da água. Isso é uma obrigação da empresa.

Quais os riscos?
A ingestão de água é essencial para a saúde. Mas, quando contaminada, pode causar diarreia, hepatite A, salmonella, gastroenterites, entre outras complicações.

E os filtros e purificadores de água?
Há diferentes tipos de purificadores e filtros de água disponíveis no mercado e a certificação do INMETRO é a garantia de qualidade que os consumidores devem procurar. É recomendado ficar atento às informações que constam no selo de identificação encontrado na embalagem do produto, pois servem de orientação aos consumidores quanto ao produto que melhor atende às suas necessidades.

Os modelos ideais são aqueles que retêm as partículas menores, reduzem em maior quantidade o cloro livre e apresentem eficiência bacteriológica aprovada.

Qual filtro é melhor?
Para que ambos funcionem de modo adequado, deve ser realizada a manutenção dos equipamentos, conforme as instruções de uso. Entre elas, a troca dos refis e a limpeza periódica. A melhor opção fica a critério do consumidor que deve avaliar as questões referentes à despesa, consumo de água, necessidade de uso e aplicação do produto.

E comprar água mineral?
Parece ser uma boa opção. Mas tem um custo mensal considerável. As marcas de água que estão atualmente no mercado devem atender os requisitos solicitados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Quanto menor o teor de sódio, cloreto, vanádio, sulfato, bário, nitrato, zinco e lítio, melhor a qualidade e os benefícios da água. E o pH deve ter valor entre 7 e 10, conforme recomendação da American Public Health Association.

As pessoas que sofrem com hipertensão, doenças cardiovasculares e renais devem ficar atentas quando ao teor de sódio contido nas informações nos rótulos. Em excesso, pode gerar complicações. Procure um nutricionista que indicará quais as melhores opções de água de acordo com a individualidade do tratamento de cada paciente.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
error: Conteúdo protegido!