Busca rápidaX

MANCHETES

Polícia decreta prisão de suspeitos de matar pai e filho em assalto em Estância Velha

22 de abril de 2019
Criminosos estariam disfarçados no dia do assalto. Foto: divulgação/PC

A Polícia Civil divulgou na manhã desta segunda-feira (22) as identidades dos dois jovens, suspeitos de participar do assalto com morte de pai e filho em uma relojoaria de Estância Velha no dia 10 de abril. Rafael Santos Domingues, de 19 anos, morador de São Leopoldo (sem antecedentes criminais) e Davi dos Santos Mello, de 20 anos, de Novo Hamburgo (condenado por roubo e em prisão domiciliar), são os principais suspeitos de terem matado Leomar Jacó Canova, de 55 anos e Luis Fernando Canova, de 35, que trabalhavam no estabelecimento.

A Justiça já decretou a prisão preventiva por latrocínio. Eles ainda não foram encontrados e são considerados foragidos. “Os dois são coautores do crime e não se descarta da participação de um terceiro, como olheiro ou ajudante. Ainda não há prova nesse sentido. Tivemos testemunhas importantes. O Davi foi reconhecido pela própria mãe, ao o ver no vídeo. Esse elemento nos ajudou e foi muito importante”, destaca o delegado regional Eduardo Hartz.

Segundo a polícia, os dois são amigos. O mais velho já tem condenação por roubo e está em prisão domiciliar. O mais novo tem envolvimento com tráfico de drogas. A Polícia Civil recebeu mais de 100 informações e fotos de possíveis autores do fato durante a investigação.

Disfarces

Os dois apontados como autores do assalto pela polícia mudaram o visual antes de cometer o crime. O delegado Marcio Nunes da Silva, que também investiga o caso, chamou atenção para a diferença da cor de uma das mãos de Rafael. “Uma das denúncias informou que o Rafael havia pintado a mão para esconder uma tatuagem.”

O delegado diz que as fotos mostradas para a imprensa foram retiradas das redes sociais dos suspeitos. As imagens foram apagadas dos perfis depois do crime. “Temos reconhecimento fotográfico de mais de uma testemunha e reconhecimento dos familiares”, reitera.

Foi levantada ainda uma suspeita de que os dois estariam com nariz falso no dia do assalto. “Estamos aguardando laudo nesse sentido”, pontua o delegado Nunes.

“Nós temos um depoimento de que ambos os indivíduos foram juntos a uma barbaria na Vila Brás e fizeram uma pigmentação da barba”, acrescenta. “Eles foram até a barbaria três dias antes do crime”, completa o delegado Hartz.

A polícia apreendeu dois veículos que teriam sido usados no assalto, mas ainda não confirma oficialmente a relação. Eles passam por perícia. São um Honda Fit e um Ford Focus.

“O celular deixado no Focus está sendo periciado pelo setor de investigação”, diz Hartz. Ainda de acordo com a polícia, duas armas diferentes foram usadas pelos suspeitos, e ambas dispararam. Nenhuma foi encontrada ainda.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: G1

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!