Busca rápidaX

Porto Alegre registra primeiro caso de contaminação local de coronavírus

18 de março de 2020
Porto Alegre, RS 18/03/2020: O prefeito Nelson Marchezan Júnior e o secretário municipal de Saúde, Pablo Stürmer, concederam coletiva de imprensa, às 11h desta quarta-feira, 18, no Salão Nobre do Paço Municipal. Foram detalhadas as medidas e decretos já publicados para conter o avanço do coronavírus na Capital. Foto: Jefferson Bernardes/PMPA

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (18), em Porto Alegre, o prefeito da Capital Nelson Marchezan Junior e o secretário municipal de saúde Pablo Stürmer anunciaram o primeiro caso de transmissão local de coronavírus na cidade. A paciente é uma mulher de 53 anos, que teve contato com colega de trabalho contaminado em SP. Ela está em casa. Foram atualizadas também as informações dos demais 15 casos da Capital. Destes, apenas uma mulher de 31 anos, está internada, com previsão de alta para o dia de hoje. Os outros pacientes estão em isolamento domiciliar. Dos 16 casos da Capital, 9 são mulheres e 7 são homens; 4 casos são de pessoas com mais de 65 anos. A transmissão local acontece quando um paciente, contaminado fora da cidade, transmite o vírus para outra pessoa, sendo possível identificar a origem da infecção. De ontem para hoje, o número de casos na Capital dobrou: de 8 para 16.

Para conter o avanço do coronavírus em Porto Alegre, o prefeito Nelson Marchezan decretou estado de emergência e editou uma série de decretos para restringir e suspender atividades na cidade. Aulas da rede municipal no ensino fundamental e médio foram suspensas e a partir de segunda-feira, as suspensões se estendem para a rede de ensino infantil, pública, comunitária e particular. Academias, cinemas, além de bares, pubs, boates e casas noturnas estão proibidas de abrir. Restaurantes podem funcionar, desde que obedeçam a restrição de 50% da capacidade máxima prevista no alvará de funcionamento ou Plano de Prevenção Contra Incêndio. Shopping centers terão seus horários reduzidos. Quem não cumprir as determinações pode ser multado, ter seus alvarás cassados ou até ter seus estabelecimentos interditados. O prefeito de Porto Alegre enfatizou que as restrições devem aumentar, para evitar a aglomeração e circulação de pessoas. Marchezan ainda sugeriu que outros prefeitos tenham medidas semelhantes em cidades grandes e especialmente na região metropolitana. Marchezan citou que a Capital é a porta de entrada do vírus para outros municípios do Estado, assim como São Paulo e Rio de Janeiro foram porta de entrada para o Brasil.

“Não gostaríamos de estar tomando as decisões que estamos tomando, mas elas nos parecem hoje, que são necessárias, todas as decisões são baseadas nas experiências de outros municípios, de outros estados, de outros países, que estão a nossa disposição neste momento. […] Nós vamos errar… mas esses erros são bem intencionados”, admitiu, emocionado o prefeito de Porto Alegre. “A crise econômica vai afetar os mais pobres no mundo inteiro, no Brasil e aqui em Porto Alegre. A gente tá fazendo de tudo pra minimizar isso. Mas o foco agora é minimizar as consequências mais radicais em relação à saúde de pessoas”, completou Marchezan.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí/Foto: Jefferson Bernardes/PMPA

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!