Busca rápidaX

Preparador físico do São Luiz é favorável ao aumento de número de substituições

19 de maio de 2020

A Federação Gaúcha de Futebol e os 12 clubes que disputam a Série A do campeonato gaúcho decidiram pela retomada da competição para o meio do mês de julho. A FIFA autorizou o aumento de números de substituições durante os jogos. O preparador físico do São Luiz, Anderson de Lazari – Kuki -, conversou com a reportagem da Rádio Progresso de Ijuí sobre os temas.

Rádio Progresso: A FGF e clubes definiram a retomada do campeonato gaúcho para o meio de julho em diante e tem um prazo de 15 dias de preparação. Como a comissão técnica do São Luiz vai trabalhar neste sentido?

Anderson de Lazari: Não sabemos ao certo a quantidade de dias de preparação que teremos entre apresentação e primeira partida. Até pq nem a data temos, temos uma previsão, previsão essa q oscila em vários dias, dificultando a organização do treinamento. A comissão precisa trabalhar acima d tudo com cautela, entender a forma que os jogadores irão se apresentar, os tipos de treinos q serão autorizados de início, para daí sim fazer a organização dos treinos.


RPI: Quando começa uma pré-temporada, alguns atletas que tem um tempo de inatividade, chegam com alguma dificuldade, porém, participam das famosas “pedalas”, agora isso não aconteceu, como você espera que o grupo retorne?

Anderson: Num período normal de férias, os atletas tem diversas formas e lugares para manterem seu condicionamento, como as academias que em alguns locais ainda não estão autorizadas a abrir. Tbm tem as partidas que os atletas participam durante as férias, auxiliam sim na manutenção de performance. Nenhum atleta irá se apresentar em condições de jogar uma partida de imediato. Por mais que estejam Realizando suas atividades, para jogar futebol, o atleta precisa treinar futebol, ou seja, as adaptações por meio do jogo, adaptações específicas são conseguidas treinando de forma específica.


RPI: Recentemente a FIFA aprovou o aumento de número de substituições, passando de 3 para 5. O quanto isso é benéfico?

Anderson: Sempre fui favorável a mais alterações durante os jogos. Precisamos de um caso atípico para que essa ideia se concretizasse. Melhora dessa forma qualidade de jogo, protege atletas de possíveis lesões pelo cenário apresentado, no lado do atleta, que teve sua chance aumentada em participar do jogo, e do treinador que ganha mais 2 trocas para mudar o jogo.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí/Foto: Lucas Dornelles/ECSL

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!