Busca rápidaX

Projeto de implantação de pomares em Santo Ângelo estimula produção de frutas

1 de setembro de 2020
Foto: Emater

Cultivar o próprio alimento é investir em qualidade de vida e em segurança e soberania alimentar para a família, além de, em muitos casos, poder se transformar em mais uma fonte de renda. Foi pensando nisso que a equipe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Santo Ângelo, vinculada à Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), tem incentivado a implantação de pomares no município.

Em um primeiro momento a proposta foi apresentada às 100 famílias que integram o Programa Socioassistencial executado no município pela Emater/RS-Ascar, sob coordenação da extensionista social Thaís Trindade de Ávila. Entre as famílias que recebem assistência técnica e social por meio do programa está a do casal Luiz e Leonilda Ebone, e do filho Marlon, da comunidade Ressaca Buriti. Na propriedade dos Ebone está sendo implantado um pomar com o propósito de obter frutas durante todo o ano.

O projeto elaborado pelo Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar orientou a escolha e distribuição das espécies na área destinada ao pomar, assim como as técnicas de plantio em relação à adubação e tratos iniciais. “Este foi o primeiro pomar implantado neste modelo, nossa expectativa é que nos próximos anos outros sejam implantados no mesmo molde, mas sempre respeitando os desejos da família em relação às frutas que desejam produzir”, explica a extensionista da Emater/RS-Ascar, Márcia Dezen. No caso dos Ebone foram cultivados 50 exemplares, entre elas, nogueira pecã e mudas de pêssego, ameixa, goiaba, caqui e frutas cítricas como laranja, bergamota e limão.

Os próximos passos, de acordo com Thaís, são o envolvimento de outras famílias em oficinas de processamento de frutas, realização de dia de campo sobre segurança e soberania alimentar, em momento oportuno, seguindo as recomendações das autoridades de saúde, assim como assessoramento na gestão de recursos existentes nas propriedades.

Porque ter um pomar doméstico

Direta ou indiretamente a produção de frutíferas representa renda. “A renda da produção que o agricultor poderá comercializar ou em função de que a produção delas tem um valor que o agricultor não vai precisar gastar no supermercado para aquisição de tais frutas”, explica Márcia.

Uma nogueira pecã, por exemplo, se bem conduzida, já no terceiro ano dará seus primeiros frutos e em sua fase adulta produzirá em média 50 kg de nozes por ano. O quilo de nozes descascadas e embaladas chega a R$ 164, em um supermercado de Santo Ângelo. “Portanto, o valor de apenas um ano de produção dessa árvore pode representar R$ 8.200,00, se levarmos em conta o valor que se pagaria caso tivesse que comprar 50 quilos de nozes. O custo de uma muda de nogueira é de apenas R$ 45,00, por isso nosso esforço em incentivar as famílias de agricultores em ter seus pomares”, salienta a extensionista.

Um cálculo semelhante pode ser feito em relação à outras frutíferas, reiterando sua importância na geração de renda ou na economia de recursos. “Além da questão da renda, cada uma delas representa soberania alimentar, renda, saúde, sombra, diversidade e o excedente de produção ainda se torna alimento para animais silvestres”, afirma. 

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Emater Ascar/RS
error: Conteúdo protegido!