Busca rápidaX

MANCHETES

Projeto incentiva a criação de abelhas pelos índios Kaingangues

1 de fevereiro de 2020
Foto: Prefeitura de Tenente Portela

A Prefeitura de Tenente Portela, no noroeste do estado, através de uma parceria com a Emater está dando as condições estruturais visando incentivar a criação de abelhas nas aldeias dos índios kaingangues da Reserva do Guarita.

O projeto ‘Criação de Abelhas Sem Ferrão na Comunidade Indígena do Guarita’ possibilitou a entrega, nesta semana, das primeiras 100 caixas (colmeias) para criação das abelhas em sete aldeias (setores) da parte da reserva indígenas localizada na área do município de Tenente Portela.

Segundo o prefeito de Tenente Portela, Clairton Carboni, as colmeias começam a ser povoadas com abelhas da espécie Jateí, encontradas nos interior da reserva. “Este é projeto inovador e tem como objetivo principal fomentar a prática da apicultura em todos os setores da reserva, possibilitando a produção de mel que será consumido pelos indígenas e o excedente comercializado, garantindo assim uma nova alternativa de renda”, observa Carboni.

O prefeito afirma, ainda, que a intenção do Poder Público portelense  é apoiar cada vez mais  a atividade apícola, através da parceria com a Emater. Carboni disse que foram investidos R$ 3 mil na aquisição das caixas de abelhas. “O valor em si é pequeno, mas grande mesmo é o significado do projeto que gera condições dos caingangues produzirem o mel, ter uma atividade saudável e rentável”, afirma.

O coordenador do projeto o  vice-prefeito de Tenente Portela, Valdir Machado Soares informou que a iniciativa, através da secretaria municipal do Índio também dá orientações às famílias indígenas nos aspectos técnicos da criação de abelhas, a captura dos enxames encontrados na mata nativa da reserva. “É importante lembrar que o projeto visa resgatar espécies de abelhas nativas sem ferrão existentes na terra indígena e que culturalmente fazem parte da vivência da comunidade, as quais tem um papel importante na polinização das plantas, além de produzirem um mel diferenciado aproveitando as diferentes florações existentes em áreas de vegetação nativa que ocorrem em grande parte do ano”, disse.

Soares afirma, ainda, que essas ações vem sendo desenvolvidas considerando aspectos culturais, ambientais e sociais das famílias ligadas em outras atividades da comunidade como o artesanato, a produção de alimentos e que irão potencializar atividades de turismo na terra indígena.

O município de Tenente Portela que tem em seu território parte da Terra Indígena Guarita, onde residem 2,2 mil índios. Segundo a Administração Municipal o projeto é desenvolvido pela Emater/Ascar e conta com a supervisão do engenheiro agrônomo Antônio Altíssimo, do Escritório Regional de Ijuí.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Correio do Povo
error: Conteúdo protegido!