Busca rápidaX

MANCHETES

Região Metropolitana registra 10 chacinas em oito meses

28 de agosto de 2017
Mais uma amarga estatística para a conta da segurança pública do Estado: faltando alguns dias para o nono mês do ano, Porto Alegre e Região Metropolitana já registram 10 chacinas — crime em que pessoas são mortas de maneira brutal. 

A prática ganhou visibilidade em 2017 em razão da guerra do tráfico, cada vez mais intensa e sanguinária, gerando disputas selvagens entre facções rivais. Ainda mais triste que a barbárie em si, é que, não raras vezes, as vítimas são inocentes e não têm envolvimento com o crime.

Só em janeiro, foram três casos. Cada um deles com quatro pessoas assassinadas, totalizando 12 vítimas fatais só no primeiro mês do ano. Abril registrou nova carnificina, mais uma vez com quatro vidas ceifadas. Em junho, houve novo caso, com três. Julho registrou oito mortes, sendo quatro em cada uma das duas chacinas contabilizadas.

Mais recentemente, em agosto, outras oito pessoas também foram executadas: três em Alvorada e cinco na zona sul da Capital. A polícia suspeita de que os ataques estejam relacionados.

Confira, a seguir, quais foram as chacinas registradas em Porto Alegre e cidades metropolitanas:

13/1 — São Leopoldo

Quatro pessoas foram mortas a tiros em um bar na Vila dos Tocos, em São Leopoldo, por volta das 21h40min de sexta-feira (13/1). Morreram José Fabiano da Rosa, 35 anos, Gleison Kleinhans Rogério, 21, e Paulo de Oliveira Vargas, 34. Um quarto rapaz, que também morreu, não teve a identidade confirmada.

De acordo com a Brigada Militar (BM), os quatro foram mortos por um um bando de atiradores que chegou em dois carros. Os matadores estariam com rostos cobertos. 

Outras quatro pessoas também foram baleadas, mas sobreviveram. A suspeita da Polícia Civil é que as vítimas tenham sido atingidas em represália, em ações de retaliação de facções do crime organizado na região.

Dos oito baleados, seis tinham passagens pela polícia, a maioria com antecedentes por tráfico de drogas.

25/1 — Gravataí

Mais uma família vitimada, segundo a Polícia Civil, possivelmente por engano. O crime ocorreu em Gravataí, e os mortos foram identificados como Altair Camargo, 42 anos, os dois filhos Carolina , 17 anos, e Willian, sete, além da sogra dele, Magali Procasco, 47 anos. 

Segundo o delegado da Delegacia de Homicídios de Gravataí, Felipe Borba, havia duas casas no terreno onde o crime ocorreu, na parada 66. Os alvos seriam os moradores da casa da frente, que correram para os fundos, onde estavam as vítimas. 

Os bandidos entraram e atiraram em todos que estavam pela frente.Além dos quatro mortos, a mulher de Altair, Roberta Procasco, 36 anos, foi atingida por oito disparos, mas sobrevivei. 

Outras três pessoas que estavam na casa da frente também ficaram feridas e foram levadas ao hospital. 

22/4 — Canoas

Quatro homens foram mortos em um ataque a tiros dentro de uma borracharia localizada na Estrada Passo do Nazário, no bairro Guajuviras, em Canoas, na tarde de sábado (22/4). Um quinto foi ferido. 

As vítimas foram identificadas como Jhuan Dassi da Silva, 17 anos, e Getulino Freitas, 67 anos, que não tinham antecedentes criminais, e Diomar Freitas, 29 anos, e Leonardo Freitas, 21 anos, que possuíam passagens pela polícia. 

De acordo com a Polícia Civil, entre seis e sete criminosos armados e encapuzados chegaram ao local por volta das 14h em dois carros. Testemunhas contaram que eles entraram atirando contra todos que estavam na borracharia, onde também funciona um bar.

O delegado Valeriano Garcia Neto disse à época que a principal suspeita era de que o ataque teria sido um "acerto de contas". 

3/6 — Esteio

Três pessoas foram mortas no fim da noite de sábado (3/6) após um ataque a tiros em Esteio, na região metropolitana de Porto Alegre. De acordo com a Brigada Militar (BM), criminosos em um carro atiraram diversas vezes contra o trio, que estava na Rua da Paz, no bairro Santo Inácio. 

Ângela Cristina Batista, 39 anos, Gabriel Batista Zajac, 20 anos, e Patric Paim Cardoso, 21 anos, foram mortos a tiros em uma festa. 

Segundo o delegado André Sperotto, titular da delegacia de Esteio, os dois jovens mortos eram o alvo, pois se envolveram em uma briga em outra festa, na noite anterior, em Sapucaia do Sul. Ângela Batista era mãe de Gabriel Batista.

11/7 — Porto Alegre 

Quatro pessoas foram mortas durante um tiroteio, por volta das 5h30min de 11 de julho, na Vila Brasília, no bairro Sarandi, na zona norte de Porto Alegre. Quando a Brigada Militar (BM) chegou a um dos becos da Rua Francisco de Medeiros, na altura do número 1.100, encontraram os corpos. 

A informação de testemunhas era de que cerca de 20 homens com armas longas chegaram atirando na região. De acordo com a BM, as vítimas foram identificadas como Juliano Santos dos Reis, 17 anos, sem antecedentes, Douglas da Conceição Garcia, 18 anos, também sem antecedentes, Denis Fabrício dos Santos Borssato, 22 anos, com antecedentes por porte ilegal de arma de fogo, e Jair Silva dos Santos, 39 anos, com antecedentes por roubos.

14/7 — Tramandaí

Cinco mortos e três baleados na noite de sexta-feira (14/7) em Tramandaí, no Litoral Norte. Três morreram no local e uma chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu. 

O crime aconteceu em uma casa na Rua Hildebrando Pinheiro Veloso, bairro Indianópolis, por volta das 20h. Conforme a Polícia Civil, o local era utilizado para o tráfico de drogas. 

Morreram no local Fábio Luis Bandeira, 36 anos, Tábata Prosasko Linck, 30 anos, e Rodrigo Seaia Motta, 41 anos. No hospital, a vítima foi identificada como Rogério Pereira Feijó, 34 anos. Harri Nunes Bernardo, 51 anos, morreu após 10 dias internado. 

De acordo com delegado Paulo Perez, titular da Delegacia de Polícia de Tramandaí e responsável pelo caso, duas pessoas foram mortas dentro da residência e uma na rua. Ele ainda informou que ao menos três atiradores teriam participado da ação e que alvo principal seria o dono do imóvel.

26/8 — Alvorada

Três homens foram assassinados no bairro Intersul, em Alvorada, na Região Metropolitana, por volta das 20h30min de sexta-feira (25/8). De acordo com a Brigada Militar, as vítimas foram executadas dentro de um bar localizado na Travessa Caçapava. 

Dieison Silveira de Oliveira, de 25 anos, e um homem, que ainda não foi identificado, morreram no local. Já Silvio Kohls, de 52 anos, chegou a ser socorrido mas morreu em atendimento no hospital.

Ainda segundo a polícia, quatro criminosos chegaram ao local em um Gol prata. Três deles entraram no local e efetuaram os disparos portando pistolas 9mm e ponto 40. O outro criminoso ficou na frente do bar com uma arma calibre 12, e não atirou.

Além das vítimas fatais, duas pessoas ficaram feridas. Entre elas, uma menina de 11 anos que foi atingida por um tiro de raspão na nádega. Ela foi atendida e liberada. A polícia suspeita que o crime seja acerto do tráfico, já que o local era conhecido por comercializar drogas. Ninguém foi preso.

26/8 — Porto Alegre

Cinco pessoas foram executadas no início da manhã de sábado (26/8), na Estrada Antônio Severino, bairro Rubem Berta, na zona norte de Porto Alegre. De acordo com a Polícia Civil, uma das vítimas foi levada amarrada até o local do crime. 

O comandante do 20º Batalhão de Polícia Militar, major Glademir Otero disse que o homem foi sequestrado e torturado para entregar onde estariam as outras quatro pessoas. 

Ao todo, nove executores com armas calibres 9mm, 380, .40 e 12 foram até o estabelecimento em dois carros escuros e mataram o refém na calçada. Em seguida, invadiram o local, renderam os frequentadores, revistaram alguns, questionaram outros e dispensaram quem decidiram que ficaria vivo. 

Após, deitaram as vítimas uma a uma e as executaram com vários disparos de arma de fogo. São elas: Aldo Rodrigues, 46 anos, Eduardo Fagundes Bessa, 20 anos, Marco Della Favera, 43 anos, Adrian Lima de França, 16 anos, todos sem antecedentes criminais

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
error: Conteúdo protegido!