Busca rápidaX

Relatório da PRF demonstra redução da violência nas rodovias federais do RS em 2016

6 de janeiro de 2017
Em 2016, 346 pessoas perderam a vi da nas rodovias federais o RS – 12% a menos que em 2015 – enquanto as multas por excesso de velocidade aumentaram 28% nos últimos 12 meses. A PRF registrou redução da violência nas rodovias federais no Estado do Rio Grande do Sul no ano de 2016. Com investimento em recursos tecnológicos, aliados à fiscalização rigorosa e um aumento no valor das multas, foi possível a diminuição do índice de mortos e acidentes. Esses resultados refletem um dos objetivos delineados no planejamento estratégico da PRF, que é a redução da violência no trânsito das rodovias federais.
 

ACIDENTALIDADE
 

Durante o ano de 2016, a PRF registrou 4341acidentes com feridos ou mortes. Em comparação ao mesmo período do ano anterior houve uma redução de quase 10%: foram 4803. O número de feridos teve um pequeno aumento de 2%: 5643 em 2016 contra 5507 no ano anterior. Porém, o mais relevante na questão de acidentalidade, foi a redução no número de mortes: 346 pessoas morreram em 2016, enquanto 393 perderam a vida em 2015, um a redução de 12%. Nominalmente, 47 vidas foram preservadas. Se for considerado o aumento da frota, pode-se afirmar que a letalidade dos acidentes está reduzindo nos últimos anos. Em 2014 ocorreram 507 mortes, ou seja, uma redução extremamente importante de vidas perdidas nas rodovias federais gaúchas.
 

FISCALIZAÇÃO
 

No ano de 2016, a PRF fiscalizou 589.880 veículos e 595.816 pessoas que transitavam nas rodovias federais ou áreas de interesse da União, um aumento de 24% nos veículos (474.605) e 27% (470.305) nas pessoas fiscalizadas. Além disso, os policiais rodoviários federais direcionaram suas ações para combater atitudes que possam agravar os acidentes, como por exemplo, o excesso de velocidade.

Para coibir este tipo de infração, a PRF operou o radar durante 5.052 horas somente em 2016. Isto perfaz um aumento de 295% em relação a 2015, quando os radares foram utilizados por 1.280 horas ao longo do ano. No total, 202.731 infrações de excesso de velocidade foram flagradas no último ano. Em 2015 foram 157.369, um aumento de 28%. Ou seja, o objetivo da PRF não é aumentar as multas, mas estar presente nas rodovias, fazendo com que os acidentes reduzam.

Com isto, também houve aumento no número de multas por ultrapassagens aumentou em 19%: 16.571 em 2016 e 13.905 em 2015. Em relação ao cinto de segurança, que é imprescindível para preservar a vida em caso de acidentes, tivemos 11.526 multas, um aumente de 209% em relação a 2015, quando 3.736 infrações deste tipo foram flagradas. O uso da cadeirinha também está sendo controlado: foram 902 infrações em 2016 enquanto no ano anterior foram flagrados 233 casos.

Em relação a fiscalização de alcoolemia, neste último ano foram realizados 169.809 testes de embriaguez, 41% a mais que em 2015, quando 120.064 testes foram realizados. Destes testes e das recusas em fazer o teste, resultaram 3.311 multas, um aumento de 7%: foram 3.099 em 2015. Para o superintendente da PRF no RS, Pedro Souza, “isto é reflexo de uma mudança de comportamento. A PRF está fiscalizando e as pessoas estão se conscientizando, não dirigindo após consumir álcool”. No total, somando todas as infrações, a PRF aplicou 347.875 multas, um incremento de 28% em relação a 2015, quando 271.806 infrações foram flagradas.
 

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO
 

Em ações de educação para o trânsito, como palestras, participações em feiras e eventos, projetos como o Cinema Rodoviário ou o Fetran – Festival Estudantil Temático de Educação para o Trânsito, a Polícia Rodoviária Federal atingiu 220.644 pessoas, 21% a mais que em 2015. Inclusive, a PRF realizou palestras em escolas da cidade de Riveira, no Uruguai, em parceria com o município do país vizinho. Estes projetos serão ampliados ao longo de 2017, através da comissão regional de educação para o trânsito – CRET.

CRIMINALIDADE
 

A PRF atuou com muita intensidade, também, no combate ao crime. Em 2016, 4.042 pessoas foram presas pela Polícia Rodoviária Federal somente no Rio Grande do Sul por diversos crimes, entre eles embriaguez e tráfico, entre outros. Nesse período, mais de 6,6 toneladas de maconha foram retiradas das rodovias gaúchas, quase o dobro do que em 2015, quando foram apreendidas 3,4 toneladas, ou seja, 94% a mais. Um diferencial foi o aumento de maconha apreendida próximo da fronteira ao Uruguai. Todos esses números refletem outro importante resultado institucional, traçado no plano estratégico da PRF, a contribuição para a redução da criminalidade no país.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os comentários estão desativados.

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido !!!