Busca rápidaX

MANCHETES

Reunião entre govermo gaúcho e cooperativas de leite define encaminhamentos para minimizar prejuízos com importações

18 de setembro de 2017
O chefe da Casa Civil do RS, Fábio Branco, recebeu, nesta segunda-feira (18), representantes de cooperativas de leite, que vêm enfrentando dificuldades por causa da competição com o leite e seus derivados importados de países vizinhos, como Uruguai e Argentina. No encontro, ficou decidida a criação de um grupo de trabalho, com representantes das secretarias da Fazenda e do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, para identificar e sugerir mecanismos técnicos, tributários e de qualificação para os produtores.

Para Branco, é preciso estimular a produtividade. "Para nossa cadeia (produtora de leite) se tornar mais competitiva é preciso instrumentalizar as cooperativas com assistência técnica e aumentar o volume de produção", afirmou. O governo do Estado já está tomando medidas para reduzir os prejuízos do setor. O governador José Ivo Sartori assinou, durante a 40ª Expointer, decreto que muda as regras do Imposto Sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias (RICMS), suspendendo por 90 dias o decreto 53.059/2016, que trata do diferimento para importação de leite para os centros distribuidores. E também não foi renovado o decreto 50.645/2013, que dispõe sobre o diferimento para incentivo à importação de leite para a industrialização.

Dificuldades

Os estoques de leite em pó estão altos no mercado nacional. Além do baixo consumo do produto, o volume de importação aumentou de forma desproporcional. Com isto, a indústria está reduzindo o preço pago ao produtor. Desde 2016, 100 mil toneladas de produto importado entraram no Brasil. No Rio Grande do Sul, entraram 64 mil toneladas, equivalente a 47 dias de produção da bacia leiteira gaúcha.

Um estudo realizado pelas entidades cooperativadas na Câmara Temática do Leite mostra que 48% da produção é originária de pequenos produtores e cooperativas e avalia que, com suporte técnico, a produtividade pode aumentar em até 15%. Participaram da audiência, o deputado estadual Edson Brum; a presidente do Conselho de Desenvolvimento Regional do Vale do Taquari (Codevat), Cíntia Agostini; o superintendente técnico operacional, Gerson José Lauermann, e o presidente do Sistema Ocergs, Vergílio Frederico Perius; o presidente da Consuel/Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini; e o engenheiro agrônomo da Cooperativa Languiru, Fernando Staggemeier.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
error: Conteúdo protegido!