Busca rápidaX

Sepultura é aberta e cadáver encontrado com sinais de abuso em Gravataí

11 de novembro de 2019
Após feita a perícia, foi confirmado que os pedaços de vestido encontrados na trilha até o corpo eram de fato da mulher.

Um caso de necrofilia foi registrado em um cemitério da cidade de Gravataí. O túmulo de uma mulher de 49 anos, que havia sido sepultada neste último domingo (10), foi violado e o corpo foi encontrado próximo do local, em um matagal, sem as vestimentas e com sinais claros de necrofilia.

De acordo com um dos policiais que atuaram na ocorrência, o corpo estava a oito metros da sepultura, sem calcinha e havia um rastro com pedaços do vestido utilizado pelo cadáver.

A Polícia Civil foi comunicada da violação da sepultura no Cemitério Municipal de Gravataí, no bairro Rincão da Madalena, no início da manhã desta segunda-feira (11). Após feita a perícia, foi confirmado que os pedaços de vestido encontrados na trilha até o corpo eram de fato da mulher.

O caso de necrofilia (violação de cadáver) está sendo investigado pela 1ª Delegacia do município. “Ainda não temos ideia de quem possa ter executado um crime desta natureza. Vamos conversar com familiares e amigos nas próximas horas na tentativa de descobrir se alguém tem alguma suspeita do que possa ter acontecido”, disse o delegado Marcio Zachello, à frente da apuração tocada pela 1ª.

O delegado responsável pela investigação disse apontou que o corpo foi recolhido pelos técnicos do instituto Médico Legal (IML), que deverá fornecer os laudos necessários para o andamento do caso.

No entanto, ele confirma que os sinais de abuso no cadáver são bastante evidentes e claros. Segundo ele, os indícios apesar de fortes, precisam ser confirmados pela perícia. “Lamentavelmente, a possibilidade mais clara é que se trate de um crime sexual mesmo. Ela provavelmente foi violentada depois de morta.” encerrou o delegado.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Gravataí 24 Horas Notícias. Foto: Polícia Civil.

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!