Busca rápidaX

Serra do Tabuleiro queima há mais de 30 horas em Florianópolis

11 de setembro de 2019

O vento dificulta os trabalhos de extinção do incêndio que atinge o Parque Estadual Serra do Tabuleiro, em Palhoça, na Grande Florianópolis, na tarde desta quarta-feira (11). Até 16h10, o fogo não havia atingido nenhuma casa, segundo o tenente Carlos Eduardo Rosa, da Polícia Militar Ambiental (PMA). A corporação e o Corpo de Bombeiros atuam no combate. Não há feridos.

Os dois focos principais do incêndio se intensificaram, segundo os bombeiros. A prioridade da corporação é o combate às chamas próximas a casas.

Focos de incêndio foram identificados por volta das 9h de terça (10) e o combate seguiu até as 4h desta quarta-feira, segundo os bombeiros. Por volta das 8h30 desta quarta, segundo a PMA, as chamas voltaram e o combate continua nesta tarde com apoio dos helicópteros dos bombeiros e da PM, além de caminhões dos socorristas e caminhões-pipa.

O tenente da PMA informou que não havia nenhuma casa próxima de onde a corporação combatia o incêndio perto das 16h. Porém, ele orienta que moradores que se sintam ameaçados pelo fogo peguem o básico e deixam o local.

“A Polícia Militar Ambiental está tentando eliminar pequenos focos através do abafamento do fogo, para que não passe para outros locais”, explicou o tenente. Cerca de 30 policiais trabalham no combate às chamas. Não há previsão de quando o incêndio deve ser extinto. Moradores também se voluntariam para ajudar no combate.
 
Bombeiros protegem as casas do fogo desde o início da tarde. A corporação informou que até 16h foram lançados 44 mil litros de água por helicóptero, que pegou água do mar através de equipamento acoplado à aeronave lançou sobre as chamas.

Pelos caminhões, aproximadamente 80 mil litros foram usados até o mesmo horário. Trabalham no local 50 bombeiros e são aguardados mais 20 de Balneário Camboriú, no Litoral Norte, e Criciúma, no Sul. Eles trarão equipamentos e veículos próprios para ajudar no combate.

Caminhões de Itajaí e Brusque, no Vale do Itajaí, também devem reforçar a equipe, segundo o comandante da 1ª Região do Bombeiro Militar, coronel César.

Nesta tarde, atuam no incêndio os batalhões de São José, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz.
 
Pelas primeiras estimativas, o fogo atingiu mais de 500 hectares. O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), informou em uma rede social que as causas do incêndio serão investigadas pelo Instituto Geral de Perícias (IGP).

A Prefeitura de Palhoça decretou situação de emergência na noite de terça para solicitar reforços no combate.

O Parque

O Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, localizado na Grande Florianópolis, é a maior unidade de conservação de Santa Catarina, segundo a Fundação do Meio Ambiente (Fatma). O local ocupa aproximadamente 1% do território do estado, com uma extensão de 84.130 hectares.

Criado pelo Decreto n° 1.260/75, o Parque abrange áreas de oito municípios: Florianópolis, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Bonifácio, São Martinho, Imaruíe Paulo Lopes. Engloba também as ilhas de Fortaleza/Araçatuba, Ilha do Andrade, Papagaio Pequeno, Três Irmãs, Moleques do Sul, Siriú, Coral, dos Cardos e a ponta Sul da ilha de Santa Catarina.

A sede fica às margens da BR-101, a 40 km ao Sul de Florianópolis. São cinco serras protegidas pelo Parque, a Serra do Tabuleiro, Capivari, Santa Albertina, Morretes e a Serra do Cambirela, onde está localizado o pico culminante do parque, com 1.288 metros de altitude.

O Parque tem variada vegetação, com restinga e manguezal, floresta pluvial da encosta Atlântica, floresta de araucárias e nas partes mais altas, encontram-se os campos de altitude. Na região formam-se os rios e córregos responsáveis pelo fornecimento da água utilizada pelos moradores da Grande Florianópolis. O local abriga a bacia do Maciambu.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: G1-SC.

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido !!!