Busca rápidaX

MANCHETES

Sete Projetos da Unijuí são aprovados no Programa Pesquisador Gaúcho da Fapergs

1 de novembro de 2019

O Programa Pesquisador Gaúcho, promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS), selecionou recentemente projetos que pretendem contribuir significativamente com o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação no Estado, em qualquer área do conhecimento. A Unijuí teve sete projetos aprovados neste edital.  

O total de projetos aprovados pela faixa A, de até R$ 30 mil, foram 238, sendo quatro deles coordenados por professores da Unijuí. A faixa B, até R$ 60 mil, aprovou o total de 120 projetos, sendo três deles coordenados por professores da Unijuí.

Confira os projetos selecionados:

Uso de smart contracts e blockchain na criação de mecanismos de monitoramento de soluções de integração para garantir acordos entre partes e detectar possíveis violações de contratos: o projeto, coordenado pela professora Fabricia Frantz (DCEEng), pretende modelar formalmente soluções de integração como um workflow, e a partir dos modelos,explorar o uso de smart contracts e blockchain como forma de melhorar o sistema de monitoramento da execução de uma solução de integração, pretendendo também incluir mecanismos de monitoramento, garantindo que os acordos envolvidos na solução sejam cumpridos, além de garantir que possíveis violações sejam detectadas e sinalizadas em tempo de execução. O objetivo é melhorar  a qualidade das soluções desenvolvidas pelos engenheiros de software. 

“Ser migrante no Estado do Rio Grande do Sul: saúde, gênero e inclusão social dos migrantes residentes na Região Noroeste do Estado: o projeto é coordenado pela professora Janaína Machado Sturza e pretende mapear e consolidar dados a respeito dos fluxos migratórios com destino à Região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, identificando e analisando as implicações ligadas a este processo, especialmente quanto às questões de saúde, gênero e inclusão social dos migrantes em sua relação com a população local. 

A democracia no século XXI e as novas tecnologias: e democracia, blockchain e govtechs observadas a partir dos Direitos Humanos: Com coordenação do professor Mateus de Oliveira Fornasier (DCJS), o projeto entende que as tecnologias utilizadas para a comunicação, como redes sociais, aplicativos, blockchainsmartphones, algoritmos e inteligência artificial, podem ter impactos muito significantes para os processos de decisão, talvez num futuro próximo, não se tratando apenas as eleições periódicas para o Executivo e o Legislativo, mas também procedimentos frequentes e rotineiros. Sendo assim, o projeto pretende analisar as novas tecnologias de comunicação e processamento de dados, a partir do conhecimento jurídico, no que fere aos procedimentos democráticos e Direitos Humanos, visando contribuir com a compreensão e a crítica do seu uso em futuras políticas públicas e processos (judiciais e extrajudiciais) de resolução de conflitos. 

Os serviços de monitoração eletrônica como condição de possibilidade para a redução da superlotação e superpopulação carcerária no Estado do Rio Grande do Sul: O projeto, coordenado pelo professor Maiquel Ângelo Dezordi Wermuth (DCJS), visa empreender pesquisa quantitativa e qualitativa acerca da monitoração eletrônica de acusados e condenados no Estado do Rio Grande do Sul, a partir de percepções, representações, práticas e impacto para as pessoas monitoradas, pretendendo analisar a efetiva contribuição dos serviços de monitoramento eletrônico para o enfrentamento dos problemas do superencarceramento e da superpopulação carcerária no Estado. 

Prospecção e análise de correlações entre setores e produção total, para estimativas da evolução das atividades econômicas nos municípios gaúchos: Coordenado pelo professor Romualdo Kohler, o projeto tem como objetivo a busca de padrões de comportamento para estimativas contemporâneas da evolução das atividades econômicas nos municípios gaúchos. De acordo com estudos já realizados, se trabalha com a expectativa da existência de forte conexão entre o Setor Terciário e o Produto Interno Bruto em cada um dos 497 municípios gaúchos. Entretanto, caso não se verifique um padrão de comportamento no conjunto, evolui para a análise de categorias de municípios com desempenhos parecidos. 

Observando o desenvolvimento regional no Rio Grande do Sul: gestão e controle social nos territórios dos Coredes Noroeste Colonial, Vale do Rio Pardo, Missões e Litoral: é coordenador pelo professor Sérgio Luis Allebrandt, vinculado ao Programa de Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Regional.

A especificidade da educação escolar nas sociedades republicanas e democráticas: Com coordenação do professor José Pedro Boufleuer, o objetivo do projeto é o estabelecimento de um horizonte normativo para o enfrentamento teórico e prático de temas que desafiam a escola, considerando, em especial, a atual conjuntura brasileira e as circunstâncias específicas do tempo presente. Além disso, a pesquisa envolverá um grupo de professores de uma escola da rede pública de ensino de Ijuí em um projeto piloto de formação continuada.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!