Busca rápidaX

Setembro Verde: neste ano, somente uma família autorizou a doação de órgãos em Ijuí

17 de setembro de 2019

Além do Setembro Amarelo, que é o mês de conscientização e prevenção do suicídio, existe também a Campanha Setembro Verde, alusiva a conscientização sobre a Doação de órgãos. Somente no Brasil, existem mais de 30 mil pessoas aguardando por um transplante.

Durante o ano de 2019, a Comissão Intrahospitalar de doação de órgãos e tecidos (Cihdott) do Hospital de Caridade de Ijuí (HCI), diagnosticou 8 pacientes com morte encefálica e que poderiam ser doadores (um dos casos havia contra indicação). Contudo, apenas uma família autorizou a captação dos órgãos.

Por isso, a Cihdott e o HCI realizam neste mês a campanha alusiva ao setembro verde, com a hashtag #prasempreamor. A enfermeira e membro da comissão, Andreia Sandri Casali, ressalta que uma pessoa pode salvar até 8 vidas.

“O assunto é muito delicado e nós entendemos perfeitamente a situação da família. Ninguém espera perder um ente querido, mas precisamos enfatizar que a Doação de órgãos é um ato de amor e empatia com o próximo que pode continuar vivendo”, ressalta.

No próximo dia 25, ocorre no auditório do HCI o V Fórum de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante, alusivo ao Dia Nacional de doação de Órgãos (27). Interessados em participar devem se inscrever através do email [email protected] Como “custo” de inscrição o Hospital pede um quilo de alimento não perecível.

COMO SE TORNAR DOADOR
Para ser um doador basta avisar a família sobre a intenção, pois é ela que autoriza a Doação.

QUAIS PACIENTES PODEM DOAR
Todo paciente que for diagnosticado pela equipe médica com morte encefálica e que não possui contra indicação.

QUAIS ÓRGÃOS PODEM SER DOADOS
Rins, coração, pulmões, fígado, pâncreas, córneas, pele e ossos

COMO FUNCIONA OS TRÂMITES PARA DOAÇÃO
Assim que a morte encefálica for diagnosticada, profissionais da Cihdott, que possuem especialização no assunto, vão ao encontro da família e comunicam o fato. Após isso, realizam uma entrevista com os familiares e explicam a importância da doação. Se a família for favorável ao procedimento, a Cihdott contata a Central de Transplantes do RS, em Porto Alegre. Médicos especializados se deslocam de avião até o HCI para realizar o procedimento. O processo pode levar até 24h.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido !!!