Busca rápidaX

Simers acompanha situação de médicos que atuam no combate ao coronavírus

24 de março de 2020

O período é de combate à pandemia de coronavírus, momento em que também deve ser levada em consideração a saúde de médicos, enfermeiros e outros, que estão na linha de frente dos atendimentos à população.

Durante entrevista hoje pela manhã na RPI, o diretor de interior do Simers – Sindicato Médico do Rio Grande do Sul – Fernando Uberti Machado (foto), disse que a entidade atua, por exemplo, para que os médicos tenham todos os equipamentos de proteção individual disponíveis para realizar os serviços.

O Simers recebe denúncias sobre descumprimento de medidas do Ministério da Saúde, por parte de hospitais e demais órgãos. Além disso, havia hospitais que não tinham suspendido atendimentos eletivos, por exemplo, cirurgia e outros procedimentos não urgentes.

Outra preocupação do Simers se refere aos médicos que fazem parte de grupos de risco, por exemplo, acima de 60 anos ou com doenças crônicas. A dúvida é se podem atuar ou não, já que a recomendação é para que pessoas de grupos de risco sejam afastadas de atividades. Uma das saídas é a atuação por telemedicina, ou seja, a distância.

Fernando Uberti Machado ainda comentou na Progresso que há médicos no Rio Grande do Sul que já fecharam temporariamente os consultórios, até que passe esse período de coronavírus. No entanto, isso é uma decisão pessoal de cada profissional.

O representante do Simers destacou que existem especialidades, por exemplo, na cardiologia, oncologia, pneumologia e psiquiatria que fica muito difícil cancelar consultas e procedimentos, pois são áreas de bastante urgência. Uberti citou a psiquiatria, que poderá ter acréscimo de demanda neste período de isolamento social, em virtude de quadro de ansiedade das pessoas.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!