Busca rápidaX

MANCHETES

“Temos que ter mais empatia e amor ao próximo”, afirma atleta que joga futebol amador em Ijuí e região

25 de maio de 2020

João Bruski é um dos melhores laterais do futebol amador de Ijuí e região. Dono de um chute potente, o atleta sempre defende as equipes em seus respectivos campeonatos. O atleta também conversou com a reportagem e falou sobre o coronavírus. Confira:

Rádio Progresso de Ijuí: Quais são os reflexos que a pandemia do coronavírus trouxe para o esporte amador?
João Bruski: Os primeiros reflexos da pandemia é de muita tristeza, por que tudo parou e consequentemente os cuidados que temos que ter, o medo de poder acontecer com qualquer um, nos deixa triste e receoso. Torcemos para que isso acabe logo, precisamos ter muito cuidado. Se tratando de futebol, estamos sem aquela rotina que amamos, de jogar, de assistir na TV, de acompanhar, brigar com o time do coração, e para nós do esporte amador não poder praticar é muito ruim. Também se tratando, no meu caso, a minha renda, o futebol amador me auxilia muita, não só em termos de felicidade, então já estamos vendo os resultados que por não entrar essa renda todo mês que é um complemento para todos que jogam no amador, mas faz parte, que essa pandemia passe o quanto antes.

RPI: Quando o futebol for autorizado a ser retomado, qual o receio que o atleta terá?

Bruski: Se não tiver nenhuma vacina quando o futebol for retomado, o receio é de contrair a doença, a menos que tenham encontrado alguma cura, alguma vacina, que não tenha mais perigo, mas se tiver uma vacina, estaremos mais tranquilos, mas o receio de ser infectado é grande, inclusive a todos, não só nós do futebol.

RPI: Depois do acidente da Chapecoense, parece que teríamos mais empatia e a medida que o tempo foi passando, fomos perdendo isso. Qual o aprendizado que fica depois do coronavírus?

Bruski: Quando as coisas acontecem, começamos a pensar diferente e daqui a pouco nos dá um baque, mas o ser humano, na medida que as coisas passam, ficam um pouco pra trás parece que nada aconteceu. Acho que temos que ter um pensamento pouco diferente sobre as coisas, temos que ter mais empatia, o respeito pelo próximo, amor ao próximo, isso está em falta hoje no mundo atual. Só sentimos dor quando acontece algo com nós ou que esteja ligado a nós, antes não damos valor, é de praxe do ser humano. Acredito que é necessário ter uma visão e um sentimento um pouco diferente, não podemos dar valor somente quando as coisas acontecerem conosco ou alguém ligado a nós, o ser humano precisa mudar um pouco em relação a isso e o aprendizado que fica, é que não estamos livres de nada.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí/Foto: Lucas Dornelles/ECSL
error: Conteúdo protegido!