Busca rápidaX

Uma pessoa é presa no RS em operação contra abuso sexual infantil

18 de fevereiro de 2020
Foto: Polícia Civil

Uma pessoa foi presa em Flores da Cunha, no Rio Grande do Sul, na manhã desta terça-feira na sexta fase da Operação Luz na Infância, que tem como objetivo de identificar autores de crimes de abuso e exploração sexual. A informação é do Ministério Justiça e Segurança Pública. Mandados seguem sendo cumpridos em três cidades do Estado: Cachoeirinha, Caxias do Sul e Flores da Cunha.

“A perícia participa nos mandados de busca e apreensão, pois nos permite que algumas situações sejam feitas em flagrante delito. Se o perito, no local, conseguir identificar que houve o compartilhamento ou armazenamento é permitida a prisão em flagrante. O mandado efetuado em Cachoeirinha não conseguiu identificar no momento, mas isso não quer dizer que ele não possa ser indiciada ou prisão após nova perícia que será feita no Instituto-Geral de Perícia”, revelou a delegada Adriana Regina da Costa, do Departamento de Polícia Metropolitana, da Polícia Civil.

No total, foram expedidos 112 mandados pela Justiça brasileira – 94 no Brasil e 18 fora do país. Destes, 38 pessoas foram presas, mas as diligências seguem ocorrendo e novas detenções podem ocorrer até o final do dia. Aproximadamente 579 policiais participaram das ações integradas coordenadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública junto com as polícias civis dos 12 Estados envolvidos. A ação ocorre em Alagoas, Acre, Ceará, Rio de Janeiro, Goiás, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí e Santa Catarina.

Um dos casos revelados pelo Ministério da Justiça é de um professor, que não teve o Estado divulgado para não atrapalhar nas investigações, que usava uma câmera para filmar por baixo dos vestidos das meninas de uma escola. Além do preso em Flores da Cunha, no Rio Grande do Sul, foram detidos em flagrante duas pessoas no Ceará, uma em Goiás, uma em Mato Grosso, quatro em Mato Grosso do Sul, seis no Paraná, nove em Santa Catarina e 14 em São Paulo. 

O Ministério da Justiça e Segurança Pública pretende revelar os números finais da operação através da assessoria de imprensa no final do dia. Como existem quatro mandados fora do país, problemas como fuso ou disponibilidades das autoridades locais podem adiar o resultado final. Colômbia, Estados Unidos, Paraguai e Panamá também são alvos da operação. 

No Brasil, a pena para quem armazena conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual varia de 1 a 4 anos de prisão, de 3 a 6 anos pelo compartilhamento e de 4 a 8 anos de prisão pela produção.

Em setembro de 2019, a Operação Luz na Infância 5 foi realizada em 14 estados e seis países e prendeu 51 pessoas. Foram mobilizados para a operação 656 policiais que atuam nas buscas decretadas contra 105 alvos.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Correio do Povo

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!