Busca rápidaX

Unijuí e Ceriluz firmaram convênio para o desenvolvimento de projeto Socioambiental em Ijuí

17 de agosto de 2020
Foto: Unijuí

A Ceriluz e a Unijuí, por meio do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, juntamente com a JSFlorestal, firmaram convênio para o desenvolvimento de um projeto Socioambiental em Ijuí. Intitulado “Qualidade das águas de nascentes pertencentes à bacia hidrográfica do Rio Ijuí na área de atuação de Pequenas Centrais Hidrelétricas”, será desenvolvido com associados da Cooperativa e também com estudantes de escolas da cidade. A parceria entre os atores desta iniciativa foi potencializada pela atuação da Agência de Inovação e Tecnologia (AGIT), setor ligado à Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Universidade.

Os objetivos são identificar as nascentes e caracterizar o ambiente no entorno das fontes que abastecem o rio Ijuí, na microrregião de atuação de Pequenas Centrais Hidrelétricas. Realizar avaliação da qualidade da água e desenvolver um plano de monitoramento para fins de recuperação e preservação. Além disso, atuar junto à comunidade para atividades de educação ambiental na conscientização do uso racional da água e preservação de seus mananciais e de valorizar o caráter socioambiental da empresa geradora de energia. O projeto também tem estreita ligação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), um chamado universal para ação contra a pobreza, proteção do planeta e para garantir que todas as pessoas tenham paz e prosperidade.

O estudo será desenvolvido nos municípios de Ijuí e Bozano, na Bacia Hidrográfica do Rio Ijuí, na microrregião de atuação das PCH’s José Barasuol e RS 155, que exploram o potencial hidrelétrico do Rio Ijuí, na qual as nascentes de água selecionadas para o desenvolvimento do projeto de pesquisa são formadoras de arroios que contribuem para a disponibilidade hídrica do Rio Ijuí. Será executado em forma de Projeto de Mestrado do Programa, a partir da atuação da mestranda Márcia Sostmeyer Jung. Ela salienta que a água é um recurso natural e o elemento de maior importância na natureza, sendo necessária para manter a biodiversidade e as atividades econômicas da agricultura, pecuária e indústria. No entanto, a qualidade da água é ameaçada com o crescimento da população humana e expansão das atividades agrícolas e industriais. “As nascentes possuem uma posição de destaque no ciclo hidrológico, abastecendo os cursos d’água dos rios, mantendo a biodiversidade e o ecossistema como um todo. Portanto, a manutenção do fluxo e a qualidade da água de um rio depende da contribuição dos seus afluentes (rios menores, riachos, córregos e nascentes) preservados e conservados”, salienta. 

Ela também observa sobre a utilização do potencial econômico na geração de energia limpa, pois a água constitui uma fonte renovável de combustível pelas usinas hidrelétricas. “O crescimento econômico e a manutenção das atividades humanas estão interligados com a disponibilidade de energia elétrica. As Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) são empreendimentos de elevada importância para a matriz energética brasileira e gaúcha. Elas apresentam impactos ambientais menores, são ambientalmente responsáveis e economicamente viáveis, geram energia descentralizada próxima a grandes centros consumidores e contribuem com o desenvolvimento social e econômico regional. Estas características são condizentes com as exigências do desenvolvimento sustentável do século 21”, complementa.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Unijuí
error: Conteúdo protegido!