Busca rápidaX

MANCHETES

Universidades da região registram aumento da inadimplência em virtude da pandemia

9 de julho de 2020

Em virtude da pandemia, suspensão das aulas presenciais e impacto em setor da economia, as universidades e instituições de ensino da região tem registrado aumento expressivo na inadimplência. Na Unijuí, o índice de inadimplência no mês de maio foi de 20,65%. Já no mês de junho, teve uma leve redução e fechou em 15,55%. Como forma de manter os alunos ativos, a universidade concede percentuais de bônus para aqueles que efetivarem a rematrícula. Além disso, são oferecidos bônus também para quem ingressa no ensino superior através do vestibular.

A FASA, Faculdade de Santo Ângelo informou à RPI que os índices de atrasos e não pagamentos de mensalidades aumentou 15% nesses quatro meses de pandemia.  A Universidade de Cruz Alta – Unicruz, teve aumento da inadimplência em três linhas de frente. A primeira dos cursos no qual os profissionais precisaram fechar seus estabelecimentos ou reduzir os atendimentos, a fim de atender ao disposto nos Decretos Municipais e Estaduais como de Estética e Cosmética, Fisioterapia, sendo que nestes cursos houve aumento significativo, da inadimplência, visto a redução de renda destes profissionais. Os cursos voltados para a área de Licenciatura, também sentiram os impactos da pandemia, visto que não puderam realizar o estágio remunerado em escolas, academias, impactando na redução da renda.  Nos cursos da área de agrárias, o aumento da inadimplência se deu em função das aulas estarem acontecendo de forma remota, inviabilizando aos alunos a dar sequência em seus experimentos iniciados no começo do semestre.

Nos demais cursos a Unicruz também registrou redução nos pagamentos, visto que os alunos tiveram redução/suspensão nos contratos de trabalho, ou até mesmo fechamento de seus estabelecimentos comerciais. No mês de junho a inadimplência chegou na casa de 34%, percentual muito alto, comparado aos indicadores que a instituição vinha trabalhando. Em virtude desta situação, a Universidade tomou frente a várias iniciativas a fim de minimizar os impactos sentidos pelos alunos. Uma delas é o não repasse do reajuste na mensalidade que se fosse reajustado seria na ordem de 4,13%. Além disso a instituição conta com linhas de financiamento, parcelamentos e renegociações.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí