Busca rápidaX

MANCHETES

Zé Griebeler, uma vida dedicada ao Esporte Clube São Luiz

14 de janeiro de 2020

Natural de São Borja, José Griebeler tem uma vida dedicada ao Esporte Clube São Luiz. O massoterapeuta chegou ao Rubro em 1969 e desde então ficou fora do clube apenas uma temporada, sem contar o período que o São Luiz ficou sem atividades de 1976 até 1986.

Zé, como é conhecido na baixada, conversou com a reportagem da Rádio Progresso de Ijuí. Confira.

“O São Luiz é minha segunda casa. Quase 50 anos de São Luiz, sempre trabalhando, acompanhando, 10 cursos de massagens, sempre se atualizando, nosso departamento médico melhorou muito de 10 anos para cá. Quem viu o clube como eu vi há 20 anos não acredita”.

O massoterapeuta afirma que em 2001 recebeu convite e foi para o Pelotas.

“’Em 2001 fui convidado para trabalhar no Esporte Clube Pelotas para a disputa da Copa Sul-Minas, Gauchão e Série C do brasileirão. Em dezembro eu vim passear em casa, em janeiro o São Luiz reabriu as portas, e eu já fiquei por aqui mesmo. Só fui lá na Boca do Lobo, me despedi, peguei o que era meu e estou até hoje no São Luiz”.

Zé Griebeler falou também das condições precárias de fazer futebol no passado.

“Com certeza. Hoje é tudo mais caro, tudo envolve mais grana, mas é bem mais fácil, aparelhagem, fisioterapeuta, auxiliar, departamento médico bem montado. Dificilmente algum jogador que está com alguma lesão sai do estádio para se tratar em outro local, hoje o São Luiz já está assim. Eu quando lembro do passado, afirmo, o futebol mudou bastante. O técnico Vanderlei Luxemburgo numa entrevista disse que tem muita novidade que ele aprova, mas também tem muita coisa que ele é contra, sem citar o que é contra, mas ele está certo. A novidade está presente hoje em todo o esporte”.

O profissional fala como é lidar com os jogadores.

“Tem que ter muito cuidado. Tratar todo profissional bem. Eu aprendi em 1970, com um grande amigo do João Paiva, o Vizone, e o que aprendi com ele, eu aplico de 70 até hoje. Tratar bem o jogador, a diretoria, bom dia, boa tarde, sim senhor, tudo bem? E ficamos por ali. Não se mete com a turma. Cada um vive a sua vida”’.

Também comentou sobre o São Luiz voltar a ter futebol no segundo semestre após 15 anos.

“É uma grande alegria e que bom que o clube está em nível estadual e nacional. Vamos olhar para a a região, então o São Luiz é o único da região o que é lamentável. Pelo que o São Luiz passou na segunda divisão, hoje em dia é uma maravilha”.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí.

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!